Relacionamento com o cliente: Será essa a chave do sucesso?

Para mim todo e qualquer tratamento se inicia antes mesmo de colocarmos as nossas mãos nos clientes e utilizarmos técnicas, aparelhos e cosméticos para tratar o rosto e o corpinho delas (es).

Começa mesmo é no primeiro contato, antes do fechamento de pacotes de tratamento ou até mesmo da avaliação. E vai muito além de um preenchimento de uma ficha de anamnese feita de forma automática ou um orçamento com um super desconto parcelado em 10x no cartão de crédito. Vai do nosso cuidado e percepção de saber que ali, na nossa frente, tem um ser humano que pretende ser tratado integralmente, com expectativas e desejos em relação ao que VOCÊ pode fazer por ela (e) e vai também do nosso conhecimento em saber se é possível ou não alcançar esses objetivos que eles tanto desejam.

Hoje vejo que os profissionais de estética caem em um senso comum doloroso: o de baratear seus serviços como forma de atrair os clientes, ao invés de utilizar a outra chave que, ao meu ver, é até mais poderosa! A do conhecimento e do relacionamento.

Então vou ser bem direta sobre o que acho do assunto: precisamos aprender a nos relacionar com as pessoas! E precisamos estudar mais, nos atualizar e capacitar de verdade!

É claro que precisamos conhecer as tendências de mercado, investir em aparelhos, em bons cosméticos e outras coisas… Mas antes de tudo isso precisamos investir na gente, no nosso conhecimento!

Alguém aqui já trocou de médico, de dentista, de advogado ou qualquer outro profissional porque se sentiu inseguro ou foi mal atendido?

Eu já fiz isso muitas vezes… E abro aqui um parênteses para contar uma história minha:

Sou super medrosa para procedimentos cirúrgicos por mais simples que ele seja, e há dois anos atrás fiz uma cirurgia super básica para correção da minha miopia. Mas antes disso, foi uma verdadeira novela;  passei em 3 oftalmologistas, descartei os dois primeiros logo de cara: um me atendeu em menos de 5 minutos e tentou me empurrar um procedimento não coberto pelo meu convênio, só para ganhar um extra. O outro estava em um consultório lotado, mas era “estrela” demais, arrogante e não se importou com a preocupação ou o medo que ele mesmo chamou de bobo, afinal era uma “simples” cirurgia. Optei então pelo terceiro profissional, que me atendeu com muita atenção, me explicou detalhadamente o procedimento, seus riscos, como seria minha recuperação… Não pensei duas vezes em fazer minha cirurgia (que era mesmo bem simples) com ele. Só um detalhe que pode não ser importante para muita gente: ele era beeemm mais jovem que os outros dois profissionais, mas me transmitiu mais segurança e empatia do que os outros dois.

Sei que não são todos que pensam como eu, mas sei também que não sou exceção. E sabe por que isso acontece?

É muito simples: nós todos queremos atenção e não desejamos ser vistos como “pagamento” ($$$$), entendeu?

Só vou abrir mais um parênteses aqui antes de terminar. Se relacionar bem com seus clientes não significa fazer piadinha, dar risada de tudo ou sair para comer pizza com ele rsrsrs… Isso a gente faz com nossos amigos (mas podemos abrir uma exceção se o cliente for amigo também rsrsrs…). Significa atende-lo bem, com profissionalismo, competência e ponto.

Então acho que é isso! Se a gente aprender a tratar nossos clientes da mesma forma como gostamos de ser atendidos por outros profissionais, tenho certeza de que nossas agendas não ficarão vazias!

É isso aí pessoal!! Uma linda semana para vocês!!!

Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *