Como é feito o microagulhamento?

Publicado por FisioFernandes em 04/02/2021 - 1 Comentário


Como é feito o microagulhamento?

Você sabe como é feito o microagulhamento?

Trata-se de um procedimento que utiliza diversas agulhas de aço cirúrgico ou titânio devidamente esterilizadas. Elas podem, inclusive, estar dispostas em um rolo para facilitar a sua aplicação.

Este rolo de agulhas é aplicado na pele para provocar pequenas perfurações, que estimulam a formação de colágeno, aumentam a vasodilatação e também a absorção de algumas substâncias diretamente pela pele, o denominado drug delivery.

O microagulhamento pode ser utilizado para diversas disfunções da pele, como flacidez, cicatrizes de queimadura ou acne, envelhecimento, manchas (melasma) e estrias.

É essencial que o equipamento tenha registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), pois a qualidade do produto é garantida através dessa certificação (no que se refere ao aço utilizado, número, diâmetro e comprimento das agulhas), assim como sua esterilização. Dessa maneira é possível evitar complicações e contaminações.

O equipamento é descartável, e não pode ser reutilizado nem mesmo no próprio paciente. Além disso, o uso do tamanho das agulhas também é regulamentado pelo conselho de classe profissional, assim esteticistas estão autorizados a usar até 0,5mm, fisioterapeutas e biomédicos até 1,00mm e somente médicos podem chegar a usar agulhas de 3mm.

Benefícios do microagulhamento

  • Promove maior firmeza para o rosto e corpo
  • Aumenta a produção de colágeno
  • Reduz rugas e cicatrizes de acne
  • Aumenta a elastina, contribuindo para restauração da pele
  • Facilita a absorção de medicamentos pela pele, devido às pequenas perfurações provocadas na região.

O procedimento pode ser realizado em diferentes regiões, tais como:

  • Rosto
  • Pescoço
  • Colo
  • Seios
  • Mãos
  • Abdômen
  • Braços
  • Coxas
  • E outros

Como é feito o microagulhamento

A técnica consiste na aplicação de microagulhas na pele. Estas podem estar dispostas em um rolo (dermaroller) ou uma caneta com microagulhas, chamada dermapen.

O ideal é que o procedimento seja realizado em consultório médico ou clínica de estética especializada, visto que é necessário o uso de anestesia local ou creme anestésico, a depender do tamanho da agulha que será utilizado, além de ser passível de riscos e complicações que serão melhor solucionados por um médico ou profissional da estética capacitado.

Passos do microagulhamento

Conheça o passo a passo de como é feito o microagulhamento.

1. Em primeiro lugar, é aplicado um creme anestésico 30 a 50 minutos antes da realização do procedimento.

2. Depois são feitos movimentos de vai e vem com o equipamento na região a ser tratada. São, em média, 10 passadas no mesmo plano e pelo menos quatro cruzamentos em diferentes posições na área.

3. Há, então, a produção de sangramento, que pode variar conforme a espessura da agulha escolhida. Mas esse sangramento para depois de alguns minutos.

4. Por fim, após a realização dos movimentos, é possível fazer o drug delivery na região, associando a ação mecânica das agulhas em conjunto com o efeito de dermocosméticos e/ou medicamentos, de acordo com a indicação e finalidade do tratamento.

Espessura da agulha

Ao elucidar como é feito o microagulhamento é importante mencionar que a pressão a ser utilizada e o tipo de agulha variam de acordo com a disfunção a ser tratada. Para problemas onde é necessária remodelação da pele como cicatrizes de acne, por exemplo,  geralmente  são usadas agulhas de 2,5 mm. Caso a intenção seja apenas melhorar o viço da pele, serão suficientes agulhas de comprimento entre 0,5 e 1 mm. Para estrias em regiões como coxa e barriga, agulhas de 1,5 a 2 mm são indicadas.

Áreas como nariz, região dos olhos e bochechas devem ter uma pressão menor para não afetar os ossos e nem mesmo criar hematomas na área abaixo dos olhos.

 

Artigos Relacionados

 

Sessões

Normalmente são realizadas de três a quatro sessões de microagulhamento, com intervalo de um mês entre elas, para garantir a recuperação do tecido da pele. 

Porém, a quantidade de sessões, assim como o intervalo, pode variar conforme o objetivo do tratamento e as especificidades da agulha utilizada. Geralmente cada sessão possui a duração média de 30 minutos a uma hora.

Profissionais que podem fazer

  • Esteticistas capacitadas na técnica
  • Dermatologistas
  • Fisioterapeutas dermatofuncionais
  • Cirurgiões dermatologistas e cirurgiões plásticos (especializados no procedimento).

Cuidados antes do microagulhamento

Os cuidados a serem tomados dependem do tipo de pele. De maneira geral, é necessário interromper a utilização de ácidos na pele entre 48 e 72 horas antes do procedimento.

Pessoas com peles mais escuras deverão preparar a pele com antioxidantes e clareadores ao menos um mês antes do tratamento, de acordo com a orientação do médico dermatologista.

Cuidados após do microagulhamento

Depois do procedimento, o local pode apresentar crostas superficiais, descamação, ardor, vermelhidão, sensibilidade e um leve inchaço.

Para acalmar a pele e suavizar esses efeitos é indicado o uso de água termal, além da utilização de cicatrizantes associados a antibióticos, os quais serão prescritos pelo dermatologista, dependendo do tipo do tratamento que foi realizado. Também é importante evitar mexer no local ou aplicar água quente pelas primeiras 24 horas, privar-se de exposição solar por 45 dias e utilizar protetor solar diariamente (somente após 24 horas após o procedimento) para impedir a formação de manchas.

Os procedimentos pós-microagulhamento podem variar conforme o tratamento, a pele do cliente e objetivos do protocolo que foi realizado.

Antes e depois do microagulhamento

Alguns procedimentos podem levar à descamação da pele. Nesses casos, a pele começa a descamar entre três ou quatro dias, já no sétimo dia o viço e a textura melhoram, depois de 20 dias observa-se evolução na pigmentação e após 45 dias, a redução das rugas. Entretanto, é possível perceber melhores os resultados após dois a três meses, uma vez que o amadurecimento do novo colágeno é um processo lento.

A regeneração promovida pelo tratamento estimula o colágeno, promovendo o rejuvenescimento, melhora na textura da pele, redução das rugas, diminuição das linhas de expressão, cicatrizes, estrias e manchas.

Os resultados também incluem firmeza da pele e tônus. Nos casos de calvície, há o aumento do diâmetro dos cabelos.

Assine nossa newsletter

Contraindicações

Pacientes com problemas de coagulação sanguínea e que usam anticoagulantes; pessoas com diabetes não controlado, casos de câncer e doença de pele ou lesão ativa no local a ser tratado são contraindicados para realizar o procedimento. O mesmo também vale para pacientes que possuem herpes ou acne ativa, gestantes e lactantes.

O tratamento deve ser avaliado em pacientes propensos à queloides e também é contraindicado aos que possuem psoríase ou que tenham feito uso de isotretinoína em meses anteriores ao procedimento.

Possíveis complicações do microagulhamento

Algumas complicações e riscos podem ser ocasionados, tais como escurecimento local, herpes, infecção secundária e outros. Geralmente estes ocorrem quando os cuidados orientados não são cumpridos pelo tempo determinado no pré e pós-tratamento.

Além disso, a qualidade dos materiais e cosméticos que serão utilizados devem ser todos regulares juntos à Anvisa e possuírem indicações corretas ao tipo de pele a ser tratada. Por isso, escolher um bom fornecedor e realizar uma boa avaliação do cliente é de extrema importância para evitar complicações.

Microagulhamento aliado a outros tratamentos

Outros procedimentos podem ser aliados ao microagulhamento para ampliar o alcance do objetivo esperado, como o uso de medicações orais para controle de problemas como melasma, rugas ou estrias. Dependendo do objetivo do tratamento, é possível associar aplicação de fototerapia com LED ou Laser, eletroterapia e tratamentos com cosméticos de uso externo em casa.

Da mesma forma, o uso de substâncias como antioxidantes e antiglicantes por via oral possibilitam a melhora na resposta do tratamento, assim como tópicos usados no pós-procedimento, dependendo do que está sendo tratado.

Alimentação rica em proteínas 

Proteínas possuem alto valor biológico e ajudam a estimular a formação de colágeno.

Tratamentos a laser

O efeito térmico promovido pelo laser contribui com a ação mecânica realizada pelo microagulhamento. Assim, quando aliados, esses tratamentos geram maiores benefícios para a pele.

Proteção solar diária 

O uso diário de protetor com FPS acima de 30 auxilia na diminuição dos efeitos da radiação solar na pele, já que esta pode ocasionar envelhecimento e manchas, como também o câncer de pele.

Hidratação

Beber bastante água é indispensável para manter a boa aparência da pele e prolongar os resultados do microagulhamento.

Parar de fumar

O cigarro reduz o aporte de oxigênio e nutrientes devido ao entupimento de microvasinhos da pele, e assim ocasiona a redução da vida das células responsáveis pela produção das fibras colágenas. 

 

5 principais dúvidas sobre o microagulhamento

 

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre como é feito o microagulhamento? Deixe seu comentário. Será uma satisfação para nós poder ajudar!

como empreender e vender mais serviços em sua clinica de estética


1
Deixe um comentário

avatar
1 Comentários
0 Respostas
0 Seguidores
 
Mais votados
Mais populares
0 Autores
Autores recentes
  Inscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificar de
trackback

[…] Como é feito o microagulhamento  […]