Empreender em fisioterapia: as 7 maiores dificuldades para o sucesso de sua clínica

Publicado por Antonio Carlos em 30/10/2019 - 1 Comentário


Empreender em fisioterapia: as 7 maiores dificuldades para o sucesso de sua clínica

A grande maioria dos fisioterapeutas sonha em empreender em fisioterapia, no entanto são diversas as dificuldades a serem enfrentadas para abrir e fazer seu negócio prosperar.

Pensando nessas dificuldades, normalmente enfrentadas por esses profissionais, elencamos as 7 maiores dores para abrir e obter sucesso ao empreender em fisioterapia e algumas ações para ajudar a minimizá-las.

1. Falta de clientes

Se você tem tempo disponível e conhecimento adquirido pela graduação na profissão, a proposta para solucionar essa dor é buscar oferecer ajuda a quem precisa, fazendo algum trabalho voluntário em instituições que não podem pagar pelos serviços, como por exemplo, asilos, comunidades, APAEs e outras associações que necessitam de fisioterapia e, consequentemente, de fisioterapeutas.

Outra sugestão para minimizar a falta de clientes é se oferecer para fazer um estágio supervisionado, estágio de aprendizado não remunerado ou, até mesmo, para trabalhar como trainee, em locais que oferecem fisioterapia e que possuem uma grande demanda, como hospitais do SUS, clínicas populares, clubes que têm departamento médico, academias, entre outros. A ideia é se oferecer para fazer um trabalho de aprendizado, se colocando à disposição, por exemplo, para orientação em manobras de postura e alongamento.

Artigos Relacionados

 

2. Ser um profissional novo no mercado

O fato de não ser conhecido profissionalmente, e às vezes nem pessoalmente, pode ser minimizado nas redes sociais. Acrescente em seu perfil pessoal, informações sobre sua profissão, imagens relacionadas e até algumas fotos de atendimentos. Estas podem ser também de momentos seus em uma aula prática ou ajudando alguém em outra atividade.

Mostre algumas rotinas e o tipo de trabalho que você pretende ofertar. Desta forma, seus amigos e seguidores terão acesso a essas informações e saberão que você atua nessa profissão. Futuramente, você poderá criar um perfil profissional, convidar pessoas a curtirem e criar uma rotina de publicações de dicas, informações e conteúdos relevantes sobre sua área de atuação.

 

3. Dificuldade de obter credenciamento em convênios

Seria ótimo se um profissional recém-formado, ou que quisesse empreender num novo serviço, recebesse a proposta para integrar uma empresa de medicina em grupo, como conveniado. No entanto, essas empresas normalmente exigem tempo de experiência e, muitas vezes, a criação de uma pessoa jurídica. Desta forma, é imprescindível ser realista e entender que isso, dificilmente, ocorrerá. Somente o fato de ter ciência que este não é o melhor caminho para começar, já é uma informação positiva.

 

4. Insegurança na avaliação e no tratamento recomendado

É muito comum haver insegurança, especialmente inicial, para obter clientes e passar confiança a eles no momento da avaliação e, posteriormente, na recomendação do tratamento.

Entretanto, é importante lembrar que, quando se fala em segurança, isso não quer dizer, de forma alguma, falta de competência, e sim uma consequência de ainda não se ter um pleno conhecimento de local de trabalho, das necessidades do público ao qual você pretende atender e da falta de experiência no toque, no manejo, no trato. 

O essencial é saber que tudo isso tem solução e se resolve com tempo e persistência. Basta um pouco de perseverança.

 

5. Falta de recursos

A falta de recursos para a compra de aparelhos, móveis e insumos também é uma dor bastante comum ao empreender uma clínica de fisioterapia. Afinal, você não sabe ao certo se vai conseguir pagar suas despesas, quanto mais investir em ferramentas de trabalho.

É necessário um mínimo de estrutura para atender clientes, por isso, é essencial ser criativo e “se virar” com o que você tem, como pelo menos, faixas elásticas, colchonetes e algumas bolas de pilates. 

Agora, montar uma clínica básica de fisioterapia requer um investimento entre dois e três mil reais para adquirir o necessário e colocar o empreendimento em prática.

Assine nossa newsletter

6. Falta de conhecimento em marketing e vendas

Profissionais que querem empreender em fisioterapia ou estão ofertando um novo serviço podem ter dúvidas sobre como divulgar e vender o seu trabalho, já que os conselhos regionais exigem uma postura legal e ética. Por isso, trata-se de algo trabalhoso e que inspira alguns cuidados, como por exemplo, os relacionados às normas de placas e sinalização com o nome do profissional e os detalhes que estas deverão constar, ou mesmo a forma de divulgação dos serviços em redes sociais, ou em qualquer outro ambiente digital, que requer uma estrutura específica de comunicação.

O melhor caminho é observar a concorrência e ver como as clínicas e fisioterapeutas já consolidados no mercado se comunicam e se inspirar nesta forma de atuação.

 

7. Burocracia

A burocracia para se estar legalmente constituído e apto ao trabalho, para atender e entregar saúde aos pacientes também é uma grande preocupação. Obviamente, atender pessoas em domicílio (atendimento home care), é muito mais fácil, no entanto não se pode esquecer que existem taxas obrigatórias com o Crefito, taxas de profissional autônomo e para a obtenção de autorização de funcionamento, junto à prefeitura de sua cidade.

Entretanto, se a ideia é montar uma sala de atendimento, existem algumas preocupações adicionais, como a vistoria da Anvisa, acessibilidade do local, segurança, facilidade de estacionamento e criação de uma estrutura mínima, tanto para gerenciamento, como para oferecer ao cliente, como por exemplo, banda larga, telefonia e, até mesmo, uma televisão na recepção.

O mais importante é saber que empreender em fisioterapia, principalmente no início, é bastante custoso, exige doação e sacrifício. Porém, passar por essas dores e viver essa experiência nos torna mais assertivos e contribui para diminuir receios e aumentar nossa coragem de enfrentar o mercado, a concorrência, além de permitir que cresçamos profissionalmente.

Todos aprendemos com os nossos erros e acertos, e ser dono do nosso tempo e das nossas escolhas, com certeza, cria um atalho muito importante para o nosso sucesso e a nossa independência financeira.

 

Quais foram suas maiores dores ao empreender sua clínica de fisioterapia? Compartilhe com a gente sua experiência, deixando seu comentário!

 

como empreender e vender mais serviços em sua clinica de estética


1
Deixe um comentário

avatar
1 Comentários
0 Respostas
0 Seguidores
 
Mais votados
Mais populares
0 Autores
Autores recentes
  Inscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificar de
trackback

[…] Empreender em fisioterapia: as 7 maiores dificuldades para o sucesso de sua clínica […]