Fisioterapeuta autônomo: vale a pena montar uma clínica?

Publicado por Antonio Carlos em 05/12/2019 - 1 Comentário


Fisioterapeuta autônomo: vale a pena montar uma clínica?

 

Você é fisioterapeuta autônomo e quer saber se vale a pena montar uma clínica? Leia este artigo e confira todas as nossas dicas!

Profissionais da saúde, fisioterapeutas e esteticistas costumam registrar-se como autônomos para montar seu consultório. No entanto, é importante estar ciente de que, dependendo de algumas ações, é bem possível que o profissional tenha problemas com seu conselho de classe.

 

Fisioterapeuta autônomo

Trabalhar como fisioterapeuta autônomo significa que o profissional pode prestar serviços para diversos empregadores, bem como atuar em único local. Fazendo essa opção, ele será incluído na folha de pagamento do empregador e se submeterá aos descontos usuais relacionados à Previdência Social e Imposto de Renda.

 

Clínica de fisioterapia própria

O fisioterapeuta também pode optar por ter sua própria clínica e apesar desta ser considerada como ponto comercial, os Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITOs) permitem a atuação desde que haja apenas um único profissional trabalhando no local.

 

Artigos Relacionados

 

Compartilhamento do espaço

No entanto, isto não quer dizer que o fisioterapeuta não possa compartilhar sua clínica e ratear o aluguel com um colega. É possível dividir o consultório desde que os profissionais não trabalhem juntos no mesmo horário, atendendo vários clientes, ou seja, o espaço deve ter apenas um deles trabalhando por vez, para que não caracterize atividade de uma empresa, cujas regras são para Pessoa Jurídica.

 

Aumento no número de clientes

Em situações em que o número de atendimentos como fisioterapeuta autônomo cresce, o recomendável é montar uma Microempresa. Neste caso, além do Registro no Conselho de Classe, o fisioterapeuta deverá providenciar uma documentação complementar, ou seja, alvarás e documentos para abrir uma clínica de estética relativos a: 

  • Alvará da Vigilância Sanitária
  • Alvará de Funcionamento obtido na Prefeitura
  • Laudo de Segurança expedido pelo Corpo de Bombeiros
  • Inscrição de Pessoa Jurídica no Crefito de sua região
  • Contador para auxiliar na montagem do Contrato Social e na obtenção de um CNPJ.

 

Maior credibilidade

Diante de toda a experiência adquirida nesses mais de 30 anos à frente da Fisio Fernandes, foi possível perceber que a maioria dos clientes que iniciaram seu negócio como Pessoa Jurídica inspiram mais credibilidade aos pacientes.

Ser Pessoa Jurídica também apresenta outras vantagens como ter a possibilidade de contratar funcionários, obter crédito mais baixos e mais facilidades junto a bancos e fornecedores, entre outros.

 

Assine nossa newsletter

 

Dica de ouro

Uma maneira inteligente de empreender é iniciar o negócio como fisioterapeuta autônomo para divulgar seu próprio nome e, aos poucos, ir montando um ponto de atendimento. Desta forma, enquanto o profissional atende e encanta clientes com um trabalho diferenciado, consegue ir ampliando seu banco de cadastros, algo imprescindível para se relacionar profissionalmente com eles.

Vale lembrar que o cadastro deve conter dados realmente necessários para esse relacionamento. Os quatro dados mais importantes são: nome completo, telefones, e-mail e como seu atendimento pode ajudar.

 

Ainda tem dúvidas se vale a pena montar um consultório como fisioterapeuta autônomo? Então compartilhe com a gente. Será um prazer poder ajudar!


1
Deixe um comentário

avatar
1 Comentários
0 Respostas
0 Seguidores
 
Mais votados
Mais populares
0 Autores
Autores recentes
  Inscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificar de
trackback

[…] Fisioterapeuta autônomo: vale a pena montar uma clínica? […]