Tratamentos e Estética Íntima Feminina

 

 

 

Esta área está ganhando um destaque cada vez maior no cenário mundial. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), alterações na saúde sexual de uma pessoa podem interferir diretamente na qualidade de vida da mesma. Neste contexto, podemos apontar  também a relação com a autoimagem que pode ser positiva ou negativa e no caso negativo pode levar ao aparecimento de angústia e depressão em relação à vida sexual.

Como qualquer parte do nosso corpo, a região íntima também passa pelo processo de envelhecimento; outros fatores também podem levar à mudanças significativas da região como obesidade, tabagismo, alcoolismo, processos de depilação por cera, gestações, vestimentas inadequadas e até mesmo o uso de algumas medicações.

Buscando atuar de maneira a melhorar tanto a qualidade de vida e função da região, bem como a autoestima e satisfação estética das pacientes a Fisioterapia traz soluções e procedimentos que podem fazer a diferença . Veja algumas das opções disponíveis para tratamento da região:

  • Cinesioterapia: Já ouviu falar sobre os exercícios de Kegel? Inicialmente bastante utilizados para combater a perda involuntária de urina, como parte dos tratamentos de incontinência, os exercícios de Kegel tonificam e fortalecem o músculo pubococcígeo e todo o assoalho pélvico. Aumentam também a circulação sanguínea da região e ajudam a combater o vaginismo.
  • Cones Vaginais: Outra boa opção de tratamento é o uso de cones vaginais que são cápsulas de formato anatômico feitas de materiais resistentes e com diferentes pesos que, ao serem inseridos na cavidade vaginal proporcionam estímulos para que a mulher contraia corretamente a musculatura do assoalho pélvico… O mais interessante é que o treinamento com os cones pode ser feito com carga progressiva (igual a aumentar os pesos nos treinos da academia sabe?). Traz resultados rápidos para o fortalecimento da musculatura  e melhoram a sensibilidade local, bem como a percepção de contração e relaxamento da região.
  • Biofeedback: Aparelho que contem sondas infláveis que são introduzidas no canal vaginal e insulfladas. O fisioterapeuta programa um objetivo a ser alcançado no aparelho e pede então que a paciente contraia os músculos do assoalho pélvico ao redor da sonda e assim a pressão é capturada e transferida ao equipamento. O resultado será apresentado visualmente ao paciente através de um gráfico ou de outro dispositivo do equipamento que mostre o resultado obtido com a contração. Podem ainda ser emitidos sinais sonoros ou luzes quando a força de contração imposta como objetivo é obtida pelo paciente. O interessante do biofeedback é acompanhar o desenrolar da contração de objetivo, o que gera diferentes tipos de trabalhos, hora com contrações crescentes e mais longas ou mais rápidas e curtas conforme e necessidade. Este tipo de treinamento permite um maior controle sobre a força e o tipo de contração muscular.
  • Eletroestimulação: Alguns aparelhos permitem o uso de correntes excitomotoras como o FES ou Russa, que podem ser trabalhadas através de sondas de teflon inseridas na cavidade vaginal gerando estímulos elétricos que causam contração (involuntária nesse caso) dos músculos da região pélvica. Muita aplicada associada ao biofeedback e em pacientes que fazem tratamentos de incontinências, melhoram especialmente a força muscular da região.
  • Radiofrequência: O uso deste tratamento para flacidez de pele corporal e facial já é bastante conhecido no meio estético e seus resultados são comprovados. Como forma de trazer os mesmos benefícios de melhora de colágeno  e aspecto da região alguns equipamentos de radiofrequência passaram a contar com ponteiras especiais adaptáveis a região íntima e autoclaváveis para trazer os mesmos benefícios a região dos grandes lábiovulvares.
  • Ultrassom: Com modulações especiais pode ser aplicado na área do “monte de vênus” e na região adutora da coxa, mais próximo a genitália, com o objetivo de diminuir a gordura localizada da região.

Enfim, opções de tratamentos estão se abrindo cada vez mais com o objetivo de melhorar a autoestima e qualidade de vida de nós mulheres. E você? Faria um tratamento de estética íntima?

Biofeedback

Biofeedback e eletroestimulação

Cones Vaginais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *